A- A+

A trajetória política de João Goulart
<<  Wilson Fadul

Wilson Fadul nasceu no dia 4 de fevereiro de 1920, em Valença (RJ), filho de André Fadul e de Angelita Fadul.

Diplomado pela Faculdade Fluminense de Medicina, em Niterói, em 1945, no ano seguinte, ingressou na Aeronáutica como segundo-tenente médico, sendo designado para servir no município de Campo Grande, então no estado de Mato Grosso e atualmente capital do Mato Grosso do Sul. No pleito de outubro de 1950 elegeu-se vereador em Campo Grande na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), tornando-se no ano seguinte presidente da Câmara Municipal. Prefeito da cidade em 1953, em outubro do ano seguinte foi eleito deputado federal por Mato Grosso. Deixando a prefeitura de Campo Grande em janeiro de 1955, assumiu em fevereiro seu mandato na Câmara dos Deputados.

Reeleito deputado federal em outubro de 1958, dois anos depois concorreu ao governo de Mato Grosso, mas não foi bem sucedido. Após a renúncia do presidente Jânio Quadros (25/8/1961), integrou a comissão encarregada de elaborar a Emenda Constitucional nº 4 (2/7/1961) que, aprovada pelo Congresso, implantou no país o regime parlamentarista, adotado como forma conciliatória para permitir a posse do vice-presidente João Goulart, cujo nome era vetado pelos ministros militares. Posteriormente, em setembro de 1962, votaria pela antecipação do plebiscito que, previsto para o início de 1965, acabaria por realizar-se em janeiro de 1963, determinando o retorno do país ao presidencialismo.

Eleito para o seu terceiro mandato em outubro de 1962, Fadul licenciou-se em junho de 1963 da Câmara dos Deputados para assumir o Ministério da Saúde. Em sua gestão realizou-se uma pesquisa sobre a indústria farmacêutica no Brasil, que revelou um índice de desnacionalização no setor de cerca de 95%. Baseado nessas informações, o governo federal, criou o Grupo Executivo da Indústria Farmacêutica Nacional com o objetivo de defender a indústria nacional de medicamentos, proibindo a importação de matéria-prima a preços fora da concorrência internacional e incentivando a implantação de uma indústria química de base. A iniciativa foi combatida pela Associação Brasileira da Indústria Farmacêutica que condenou o "tratamento preferencial" dado pelo governo brasileiro aos laboratórios nacionais. A tentativa de uniformização dos preços dos produtos farmacêuticos em todo o território nacional, obrigando os laboratórios a marcá-los nas embalagens e fornecerem ao mesmo tempo uma análise de custos, provocou também violenta reação de interesses contrariados no setor.

Em 30 de março de 1964, Fadul acompanhou Goulart na homenagem prestada ao presidente pela Associação dos Sargentos e Suboficiais da Polícia Militar, realizada no Automóvel Clube do Brasil, no Rio de Janeiro. Consumado o golpe militar de 31 de março desse mesmo ano, Fadul foi demitido do Ministério da Saúde em 4 de abril. Reassumindo em seguida sua cadeira na Câmara, teve o mandato cassado e os direitos políticos suspensos por dez anos em junho de 1964 pelo Ato Institucional nº 1 (AI-1). Afastado da política, Fadul passou a residir no Rio de Janeiro.

Com o fim do bipartidarismo, em vigor no país desde 1965, em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, filiou-se ao Partido Democrático Trabalhista (PDT). Nesta legenda se candidatou ao governo de Mato Grosso do Sul em novembro de 1982, mas foi derrotado Retornando ao Rio de Janeiro, foi vice-presidente do Banco do Estado do Rio de Janeiro (Banerj) entre os anos de 1984 e 1987, durante o primeiro governo de Leonel Brizola (1983-1987).

Ficou viúvo de Graciela Fadul, com quem teve três filhos.

[Fonte: Dicionário Histórico Biográfico Brasileiro pós 1930. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2001]

NOSSAS REDES  
Instagram Twitter Facebook Youtube Flickr Moodle        

 

 

   

 

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
RIO: Praia de Botafogo, 190, 14º andar, Rio de Janeiro - RJ - 22250-145 • Tels. (21) 3799.5676
SÃO PAULO: Avenida Paulista, 1471, 1º andar, Bela Vista - São Paulo - 01311-200 • Tel: (11) 3799 -3755
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2017. Todos os direitos reservados • Usando: Drupal! • Use versões recentes do IE, Firefox, Chrome, Opera
Lista de URLs do CPDOC Busca: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/page-sitemap

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede