A- A+

A trajetória política de João Goulart
<<  Abelardo Jurema

Abelardo de Araújo Jurema nasceu no dia 15 de fevereiro de 1914, em Itabaiana (PB), filho de Geminiano Jurema Filho e de Amália de Araújo Jurema. Matriculou-se em 1933 na Faculdade de Direito de Recife. Sua formatura coincidiu com o advento do Estado Novo (10/11/1937) e nessa nova conjuntura foi nomeado prefeito de Itabaiana, sua cidade natal, cargo no qual permaneceu até janeiro de 1938. Prefeito nomeado de João Pessoa em 1946 e 1947, em outubro de 1950 foi eleito, pela Paraíba, suplente do senador Rui Carneiro, vindo a exercer o mandato entre outubro de 1953 e março de 1954 e entre junho e setembro de 1957. Entre 1957 e 1958 foi secretário do Interior e Justiça da Paraíba. Eleito em outubro de 1958 deputado federal na legenda do Partido Social Democrático (PSD) assumiu a cadeira em fevereiro do ano seguinte. Em 25 de agosto de 1961, Jânio Quadros renunciou à presidência da República. A renúncia abriu uma grave crise, pois a posse do vice-presidente João Goulart foi vetada pelos ministros militares. Somente no dia 7 de setembro Goulart foi empossado na presidência, depois de o Congresso ter aprovado a Emenda Constitucional nº 4, que transformava em parlamentarista o regime de governo. Em janeiro de 1963 um plebiscito nacional decidiu pelo retorno ao presidencialismo. Reeleito deputado federal pela Paraíba em outubro de 1962, Abelardo Jurema licenciou-se do mandato em junho de 1963 para assumir a pasta da Justiça do governo Goulart. Duas de suas iniciativas tiveram grande repercussão: a criação do Comissariado de Defesa da Economia Popular, órgão fiscalizador dos preços dos gêneros alimentícios, e o congelamento do preço dos aluguéis. Homem do diálogo do ministério, por diversas vezes Jurema foi incumbido pelo presidente de dialogar com as esquerdas e de tentar manter a aliança entre o PSD e o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), aliança que se tornava, a cada dia, mais difícil. A maioria pessedista tendia a se colocar ao lado da União Democrática Nacional, impedindo o apoio do Congresso às mudanças requeridas por Goulart para a implantação das reformas de base. O dia 13 de março de 1964 assinalou o clímax da radicalização do governo, com a realização do Comício das Reformas. No comício, Goulart anunciou a encampação das refinarias particulares de petróleo e a desapropriação de propriedades rurais situadas à margem de obras públicas. Jurema esteve presente, colocando-se no palanque ao lado do presidente. Na madrugada de 31 de março, tropas comandadas pelo general Olímpio Mourão Filho, sediadas em Juiz de Fora (MG), começaram a se deslocar para o Rio. Horas depois, Goulart estava deposto. Jurema reassumiu seu mandato de deputado federal, exercendo-o, porém, apenas por três dias, visto que em 10 de abril foi cassado e teve os direitos políticos suspensos com base no Ato Institucional nº 1. Em seguida, partiu para o exílio no Peru. Jurema voltou ao Brasil em 1974. Beneficiado pela aprovação da anistia em agosto de 1979, filiou-se, após a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a conseqüente reformulação partidária, ao Partido Democrático Social (PDS), agremiação de apoio ao regime militar. Foi ainda diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, entre 1983 e 1985, e do Instituto do Açúcar e do Álcool, entre 1985 e 1988. Casou-se com Maria Evanise Jurema, com quem teve sete filhos.

[Fonte: Dicionário Histórico Biográfico Brasileiro pós 1930. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2001]

NOSSAS REDES  
Instagram Twitter Facebook Youtube Flickr Moodle        

 

 

   

 

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
RIO: Praia de Botafogo, 190, 14º andar, Rio de Janeiro - RJ - 22250-145 • Tels. (21) 3799.5676
SÃO PAULO: Avenida Paulista, 1471, 1º andar, Bela Vista - São Paulo - 01311-200 • Tel: (11) 3799 -3755
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2017. Todos os direitos reservados • Usando: Drupal! • Use versões recentes do IE, Firefox, Chrome, Opera
Lista de URLs do CPDOC Busca: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/page-sitemap

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede