A- A+

O Governo de Juscelino Kubitschek
<<  Cândido Mendes

Cândido Antônio José Francisco Mendes de Almeida nasceu no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, no dia 3 de junho de 1928, filho de Cândido Mendes de Almeida Júnior e de Emília Melo Vieira Mendes de Almeida. Bacharelou-se em direito e filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ), em 1950. Em 1951 e 1952 cursou o doutorado em direito pela Faculdade Nacional de Direito da Universidade do Brasil, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro. Ainda em 1951 tornou-se professor assistente da PUC-RJ.

Durante a década de 1950 participou da fundação do Departamento de História do Instituto Superior de Estudos Brasileiros (Iseb). Em 1957 tornou-se professor da Escola Brasileira de Administração Pública da Fundação Getulio Vargas, onde lecionaria até 1962. Em 1961 assumiu o cargo de chefe da assessoria técnica do presidente Jânio Quadros. Ainda neste ano foi fundador e presidente do Conselho Executivo do Instituto Brasileiro de Estudos Afro-Asiáticos. Em 1962 tornou-se presidente da Sociedade Brasileira de Instrução (SBI), mantenedora das então chamadas Faculdades Cândido Mendes, instituição fundada em 1902. Ainda em 1962 passou a lecionar na Faculdade de Direito Cândido Mendes e na Faculdade de Ciências Políticas e Econômicas do Rio de Janeiro, funções que exerceria até 1970.

Após o movimento político-militar de março de 1964, que depôs o presidente João Goulart, Cândido Mendes empenhou-se em lutar, ao lado da Igreja Católica, na defesa de presos e perseguidos políticos, buscando o fim dos crimes políticos e a manutenção do estado de direito. Em 1966 Cândido Mendes enviou ao Tribunal Regional Eleitoral uma carta-documento renunciando à sua candidatura à Câmara dos Deputados na legenda do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido de oposição ao regime militar. A carta denunciava a impossibilidade da representação política diante das regras ditatoriais.

Em 1965 iniciou uma extensa atuação, que iria até 1971, como professor visitante em diversas universidades dos Estados Unidos, entre as quais Harvard, Princeton, Stanford e Colúmbia. Em 1968 tornou-se membro do Conselho de Cooperação Educacional com a América Latina do Education and World Affairs.

Em 1969 Cândido Mendes fundou o Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro (Iuperj), instituição que abrigou alguns professores e intelectuais impedidos de trabalhar sob acusação, pelo regime militar, de serem subversivos. Ainda neste ano tornou-se subsecretário da CNBB e em 1971 passou a integrar, como membro, a Comissão Pontifícia de Justiça e Paz do Secretariado Leigo dedicado ao estudo do tema da justiça no Sínodo Romano; e foi vice-presidente da Pax Romana. Em 1973 tornou-se membro do Conselho Executivo da Federação Internacional de Universidades Católicas e vice-presidente da International Political Science Association (IPSA), cargo que exerceria durante dois mandatos, até 1979. Entre 1974 e 1976 foi secretário do Grupo de Estudos Políticos do Centro Latino-Americano de Ciências Sociais.

Em 1974 Cândido Mendes assumiu a presidência do Comitê de Programas do International Social Science Council (ISSC), entidade representativa das organizações não-governamentais de ciências sociais reconhecidas pela Unesco. Em 1976 tornou-se membro do Conselho Diretor do International Institute for Education Planning (IIEP) e no ano seguinte assumiu a vice-presidência da ISSC, órgão que presidiria em 1981, e no qual seria reeleito para sucessivos mandatos até 1992.

Em 1979 tornou-se presidente da IPSA, onde permaneceu até 1982. Entre 1981 e 1982 foi presidente da Associação das Mantenedoras de Ensino Superior Privado no Rio de Janeiro, da Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior Privado e do Sindicato dos Estabelecimentos de Ensino Superior Privado no Rio de Janeiro.

No pleito de novembro de 1986 candidatou-se a uma cadeira na Câmara dos Deputados, na legenda do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB), que sucedeu o MDB, alcançando apenas uma suplência. Em 1988 foi fundador do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), formado por dissidentes do PMDB. No ano seguinte assumiu a cadeira nº 35 da Academia Brasileira de Letras (ABL) e tornou-se membro do Conselho da Universidade das Nações Unidas, sediada em Tóquio.

Em decorrência da licença de Jorge Leite para disputar uma vaga na Assembléia Legislativa fluminense, Cândido Mendes assumiu o mandato na Câmara Federal em julho de 1990. Deixou a Câmara em fevereiro de 1991, ao final da legislatura. Em 1992 tornou-se presidente do senior board do Conselho Superior de Ciências Sociais da Unesco.

No pleito de outubro de 1994 candidatou-se novamente a deputado federal pelo PSDB, obtendo apenas uma suplência. Em setembro de 1997 assumiu o mandato na Câmara, deixando cargo em janeiro de 1998. Em 1999 tornou-se reitor da Universidade Cândido Mendes e membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB).

Recebendo o legado intelectual de Alceu Amoroso Lima, fundou, para a propagação das idéias e preservação da memória do pensador católico, o Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade. Tornou-se colaborador regular do Jornal do Brasil, da Folha de S. Paulo e do Jornal do Comércio.

Casou-se com Maria de Lurdes Melo Coimbra Mendes de Almeida, com quem teve quatro filhos.

[Fonte: Dicionário Histórico Biográfico Brasileiro pós 1930. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2001]

   

 

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
RIO: Praia de Botafogo, 190, 14º andar, Rio de Janeiro - RJ - 22250-145 • Tels. (21) 3799.5676
SÃO PAULO: Avenida Paulista, 1471, 1º andar, Bela Vista - São Paulo - 01311-200 • Tel: (11) 3799 -3755
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2020. Todos os direitos reservados • As manifestações expressas por integrantes dos quadros da Fundação Getulio Vargas, nas quais constem a sua identificação como tais, em artigos e entrevistas publicados nos meios de comunicação em geral, representam exclusivamente as opiniões dos seus autores e não, necessariamente, a posição institucional da FGV. Portaria FGV Nº19
Lista de URLs do CPDOC Busca: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/page-sitemap

Portal FGVENG

Ensino

Acompanhe na rede

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.