A- A+

A Era Vargas: dos anos 20 a 1945

<<  Euvaldo Lodi

Euvaldo Lodi nasceu em Ouro Preto (MG), em 1896.

Engenheiro, formou-se pela Escola de Minas e Metalurgia de Ouro Preto, em 1920. Em 1923, passou a integrar a Comissão Nacional de Siderurgia. Ainda durante a década de 20, assumiu a presidência do Centro Industrial de Juiz de Fora (MG).

Em 1930, deu apoio ao movimento armado que depôs Washington Luís e levou Getúlio Vargas à presidência da República. Em seguida, filiou-se ao Clube 3 de Outubro, organização política criada com o objetivo de apoiar o aprofundamento das reformas introduzidas pelo novo regime. Ainda nos primeiros anos do governo Vargas, foi designado membro de uma comissão formada pelo Centro Industrial do Brasil (CIB), com o objetivo de sistematizar as opiniões daquela entidade acerca das grandes questões que afetavam o setor industrial.

Membro do conselho diretor da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (FIRJ) entre 1931 e 1936, participou intensamente, nesse período, da montagem de entidades sindicais representativas do patronato industrial. Entre 1933 e 1934, participou dos trabalhos da Assembléia Nacional Constituinte como deputado classista eleito pelo empresariado industrial. Em outubro de 1934, renovou seu mandato de representante classista, participando da legislatura iniciada em maio do ano seguinte. Ainda em 1934, foi nomeado por Vargas membro do Conselho Federal de Comércio Exterior (CFCE). Nos anos que se seguiram, exerceria grande influência nos conselhos técnico-consultivos criados pelo governo federal, principal canal de viabilização das reivindicações dos industriais.

Durante a vigência da ditadura do Estado Novo, assumiu a presidência de importantes entidades ligadas ao empresariado industrial, como a CIRJ/FIRJ e a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Sua permanência à frente de ambas as entidades se prolongaria até 1954. Como dirigente da CNI, presidiu o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), criado em 1942. Integrou também o Conselho Consultivo da Coordenação de Mobilização Econômica, órgão criado pelo governo federal em virtude do envolvimento do Brasil na Segunda Guerra Mundial e que concentrou grandes poderes durante o período em que existiu. Em 1944, junto com João Daudt de Oliveira, chefiou a delegação brasileira enviada à Conferência de Bretton Woods, nos EUA, que criou o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Internacional para a Reconstrução e o Desenvolvimento (BIRD). Em 1946, foi um dos fundadores do Serviço Social da Indústria (SESI), entidade da qual foi diretor-geral.

Em 1947, elegeu-se deputado federal por Minas Gerais na legenda do Partido Social Democrático (PSD). Reeleito por duas vezes, permaneceu no Câmara Federal até 1956, quando faleceu em um desastre de automóvel entre São Paulo e Jundiaí.

[Fonte: Dicionário Histórico Biográfico Brasileiro pós 1930. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2001]

  Twitter Facebook Youtube Flickr Eclass      Mais   

   

 

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
RIO: Praia de Botafogo, 190, 14º andar, Rio de Janeiro - RJ - 22250-145 • Tels. (21) 3799.5676
SÃO PAULO: Avenida Paulista, 1471, 1º andar, Bela Vista - São Paulo - 01311-200 • Tel: (11) 3799 -3755
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2017. Todos os direitos reservados • Usando: Drupal! • Use versões recentes do IE, Firefox, Chrome, Opera
Lista de URLs do CPDOC Busca: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/page-sitemap

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede