A- A+

Futebol, Memória e Patrimônio
<<  Oscar Bernardi
Oscar Bernardi

Oscar Bernardi, nasceu no dia vinte de junho de 1954 na cidade de Monte Sião em Minas Gerais. Filho de um pai taxista e mãe costureira tem cinco irmãos cresceu em uma típica família do interior, e muito religiosa. Oscar é muito apegado a família e a sua cidade natal, sempre que podia retornava para casa.

Aos dezesseis anos de idade depois de se destacar no time de Águas de Lindóia foi levado por Mário Juliato à Ponte Preta. Foi aprovado nos testes, mas demorou a ter certeza de que realmente seria jogador de futebol. Em 1972, estreou pelo time profissional da Ponte Preta em uma partida contra o Santos.

Em 1977 foi vice-campeão paulista sendo titular na famosa final contra o Corinthians. No mesmo ano foi convocado pela primeira vez para a Seleção Brasileira. No ano seguinte ainda atuando pela Ponte foi convocado para disputar a Copa do Mundo da Argentina. Foi titular em todas as partidas e eleito o melhor zagueiro da competição. Na volta ao Brasil foi vendido ao Cosmos, de Nova York, onde ficou por cerca de sete meses, e conquistou o título de campeão da Liga Norte Americana.

Em 1980 retornou ao Brasil, para defender o São Paulo F.C, onde logo se tornou capitão. Formou com o uruguaio Dario Pereyra uma das maiores duplas de zaga da história do futebol brasileiro. Em 1982 novamente é convocado para a Copa do Mundo e mais uma vez é titular em todas as partidas. Já na Copa do Mundo de 1986 apesar de ter sido titular e capitão em quase todos os jogos das eliminatórias, Oscar acabou ficando na reserva. Também da reserva, viu o São Paulo conquistar o título brasileiro daquele ano. No ano seguinte sagrou-se bicampeão paulista (1985 e 1987).

Ainda em 1987 transferiu-se para o futebol japonês, onde passou a jogar no Nissan F.C. Foi um dos primeiros brasileiros a chegar ao Japão, onde virou ídolo da torcida. Foi bicampeão japonês. Encerra sua carreira em 1990 no clube japonês, onde é convidado para ser treinador. Dois anos mais tarde Foi técnico da Inter de Limeira (SP) por três meses. Também treinou clubes na Arábia Saudita, Japão e no Brasil. Desde 2003 não é mais treinador.

Em 2007 Oscar fundou o Brasilis Futebol Clube Ltda., na cidade Águas de Lindóia, criado para revelar novos talentos. Seu filho Matheus, é o presidente do clube. Atualmente Oscar também é empresário de alguns atletas, é “agente FIFA” autorizado.

 

 

© Todos os direitos reservados à FGV.

Topo da Página SUMÁRIO - ENTREVISTA 22.06.2012

  SumarioJoseOscarBernardi.pdf

Clique para assistir
1º Bloco
Origens; o início da carreira como jogador amador nas cidades próximas a Águas de Lindóia; a influência do irmão mais velho jogador do clube da Associação Atlética Montessionense; o convite para jogar na Associação Atlética Ponte Preta; a mudança para Campinas; a ascensão na carreira de jogador com o apoio do treinador Mario Giuliatto; a origem italiana; a família tradicional católica.
 
Clique para assistir
2º Bloco
O incentivo do pai para seguir a carreira de jogador; o fim dos estudos em Campinas, já como jogador da Ponte Preta; a formação em Fisioterapia pela Pontifícia Universidade Católica de Campinas; as lembranças da Copa do Mundo de 1974; ídolos do futebol; a mudança de posição de goleiro para zagueiro; a atuação como capitão em times e sua posição como líder.
 
Clique para assistir
3º Bloco
A atuação na Ponte Preta na década de 1970; a rivalidade histórica entre a Ponte e o Guarani Futebol Clube; a trajetória até a convocação para as Eliminatórias da Copa do Mundo de 1978; a escalação do time da Ponte de 1977; a vitória sobre o Sport Club Corinthians Paulista; o episódio da expulsão de Ruy Rey na final do Campeonato Paulista entre Corinthians e Ponte Preta, em 1977.
 
Clique para assistir
4º Bloco
A convocação para jogar na Seleção Brasileira da Copa do Mundo de 1978; o amadurecimento adquirido no convívio com seus ídolos na Seleção; a contribuição do treinador Cláudio Coutinho em seu aperfeiçoamento; o ponto forte como zagueiro cabeceador; o despreparo dos zagueiros que usam a violência; a maior rigidez dos juízes nos jogos de hoje; os atacantes mais difíceis de marcar na sua época.
 
Clique para assistir
5º Bloco
A preparação para a Copa do Mundo de 1978 no Centro de Treinamentos do Cruzeiro Esporte Clube (Toca da Raposa); a escalação do time para a Copa; as curiosidades, os destaques e os altos e baixos da Copa do Mundo da Argentina; a partida contra a Argentina.
 
Clique para assistir
6º Bloco
A indicação para a Seleção da FIFA pela atuação na Copa de 1978; a pequena permanência no time do New York Cosmos, nos Estados Unidos; a volta para o Brasil para jogar no São Paulo, em 1980; o convívio com Carlos Alberto Torres e Franz Beckenbauer no Cosmos; o entrosamento com Dario Pereyra; a visibilidade como jogador do São Paulo e a convocação para a Copa de 1982.
 
Clique para assistir
7º Bloco
A boa preparação do time da Copa de 1982; a indicação pela FIFA do jogo Brasil x União Soviética como um dos melhores jogos de todos os tempos; os erros do jogo contra a Itália; o seu gol no jogo contra a Escócia; a cabeçada no final do jogo contra a Itália; o reconhecimento de dever cumprido mesmo após a derrota na Copa de 1982.
 
Clique para assistir
8º Bloco
A melhor qualidade de cada jogador do time da Copa de 1982; a internacionalização dos jogadores brasileiros a partir da década de 1980; a entrada da nova geração de jogadores no São Paulo, na década de 1980 (“Menudos do Morumbi”); a final do Campeonato Paulista de 1985, contra a Associação Portuguesa de Desportos (Portuguesa); as polêmicas resultantes da exposição do jogador na mídia.
 
Clique para assistir
9º Bloco
As mudanças na escalação do time antes de embarcar para o México; a posição como reserva na Copa de 1986; a importância da experiência em campo na formação de um treinador; a atuação do Zico na Copa.
 
Clique para assistir
10º Bloco
O fim do ciclo no São Paulo; a ida para o Japão em 1987; o processo de profissionalização do futebol no Japão; a estréia como jogador do Nissan (atual Yokohama Marinos); o início da carreira de treinador em 1989, no Japão; a experiência como treinador na Arábia Saudita; a adaptação da família no Japão e na Arábia.
 
Clique para assistir
11º Bloco
O modo de trabalhar como treinador; a influência dos times europeus na sua forma de treinar; as expectativas para a Seleção Brasileira na Copa de 2014; os pontos negativos e positivos do futebol brasileiro na atualidade.
 

 

Topo da Página TRANSCRIÇÃO NA ÍNTEGRA

TranscricaoOscarBernardi.pdf

   

 

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
RIO: Praia de Botafogo, 190, 14º andar, Rio de Janeiro - RJ - 22250-145 • Tels. (21) 3799.5676
SÃO PAULO: Avenida Paulista, 1471, 1º andar, Bela Vista - São Paulo - 01311-200 • Tel: (11) 3799 -3755
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2020. Todos os direitos reservados • Usando: Drupal! • Use versões recentes do IE, Firefox, Chrome, Opera
Lista de URLs do CPDOC Busca: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/page-sitemap

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede