Lair Antônio de Souza

Todas as entrevistas  

Lair Antônio de Souza

Lair Antônio de Souza nasceu em no dia quatro de junho de 1929, no município de Descalvado, interior do Estado de São Paulo. Filho mais novo, de quatro, do casal Juvenal de Souza e Lula Melki de Souza. Em 1940 a família transfere residência de Descalvado para São Paulo na busca de melhores oportunidades de trabalho. Aos onze anos, para ajudar a família, começa a trabalhar ora como entregador, ora como servente de limpeza. Em 1942 ingressa na Escola Estadual Campos Sales, onde cursa o ensino básico. Aos quatorze anos aprende contabilidade com um vizinho e consegue emprego na área. Aos dezesseis anos já era responsável pela contabilidade de algumas empresas. Em 1948 ingressa na Companhia Brasileira de Adubos (CBA) recém instalada no Brasil como contador da empresa. Em 1952 conclui o curso técnico em Contabilidade na Escola Campos Sales, nesse período foi Presidente do Grêmio da Escola Técnica de Comércio Campos Sales. Em setembro de 1952 casa-se com Maria Pasetti de Souza, com quem tem quatro filhos. No ano de 1953 é convidado a assumir a presidência da Cooperativa de Consumo da Lapa, onde permanece até 1967. Em 1954 é dispensado da CBA e com a indenização, em 1955, cria a sua empresa, a Solorrico. Passa a prospectar clientes no interior do Estado de São Paulo, atuando como intermediário das importações de adubo e recebendo comissões pelas negociações. Nesse período passa a se relacionar com produtores rurais do interior do Estado. Conhece membros da família Biaggi e passam a realizar negócios em parceria. Em 1959 abrem a primeira fabrica de adubos granulados. Em 1966 adquire parte da Fazenda Colorado, no município de Araras, pertencente a Ivan Zurita e passa a investir em pecuária de leite e cultivo de laranja. Investe em pesquisas nos dois setores e, no caso da laranja, faz uso da lei de incentivo fiscal para o reflorestamento (1967). No ano de 1968 conclui o curso de Administração de Empresas. Neste mesmo ano cria a Citrorrico S/A e Indústria e Comércio, empresa responsável pela administração da cultura da laranja. Em 1971 contando com a parceria da família Biaggi e outros produtores de laranja funda a Sucorrico S/A Indústria e Comércio (1971 – 1977). Em 1969 a Solorrico abre o capital na Bolsa de Valores. No ano de 1973 conclui o curso de Direito na Faculdade de Direito do Sul de Minas, Pouso Alegre/MG. Nas décadas de 1960 e 1970 diversifica os setores de investimento, tendo participações em distintas empresas: Rino Publicidade Ltda. (1962 – 1977), Imobiliária Vizioli Ltda. (1960 – 1980), Plásticos Scipião S/A (1969 – 1975), Fertilizantes União S/A (1971), incorporada a Solorrico S/A Indústria e Comércio em 1981, Repasse Administração e Corretagem de Seguros S/C Ltda (1977).

Em 1982 cria a marca Laticínios Xandô Ltda. para beneficiamento e comercialização de leite tipo "A". Em 1972 vende a fabrica da Sucorrico para Cutrale, mas mantém os pomares e continua a vender para laranjas para a fábrica. No ano de 1988 a Plastirrico Indústria e Comércio Ltda., indústria de frascos plásticos, que passa a fornece embalagens para suas indústrias de suco de laranja e leite. Em 1992 participa do processo de privatização das empresas Ultrafértil e Fosfértil, nesse ínterim (1993) recebe convite para assumir a presidência das empresas, adquire participação acionária delas, realiza uma série de mudanças e reestruturações, fica no posto até 1999. Neste mesmo ano vende a Solorrico para o grupo Cargill. Em 1996 constrói a segunda Solorrico que é vendida, em 2004, para Citrovita do grupo Votorantim. Trabalhou para a criação da Instrução Normativa 51 do Ministério da Agricultura (2002), que regula o modo e as condições de produção, transporte e qualidade do leite. Em 1995 inicia uma série de estudos para o aperfeiçoamento da produção leiteira, nesse período conta com apoio de pesquisadores norte-americanos e da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). No ano de 2005 inicia a um grande investimento na Fazenda Colorado, com a criação de armazéns climatizados para aumento da produção de leite, atendendo as necessidades biológicas das vacas da raça holandesa, criando condições ideais para cria, diminuição de risco de doenças; construção de um espaço para a maternidade; modelo do processo de ordenha em carrossel. Para a consecução do projeto recebe financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Teve ainda participações nas seguintes entidades de classe e instituições: Presidente do Sindicato das Indústrias de Adubos e Corretivos Agrícolas, no Estado de São Paulo (1971 – 1974); Duas gestões como Presidente do Sindicato das Indústrias de Matérias Primas para inseticidas e Fertilizantes, no Estado de São Paulo (1977 – 1983); Diretor Vice-Presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) (1980 – 1983); Diretor Plenário do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) (1983 – 1986); Conselheiro da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP) (1986 – 1992); Vice-Presidente da Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (ABCBRH) (1986 – 1989); Diretor Presidente da ABCBRH (1989 – 1992); Presidente da Fertilizantes Fosfatados S/A FOSFÉRTIL (1992 – 1999); Presidente da Holding - FERFIFÓS - Administração e Participação S/A. (1992 – 1999); Presidente da Góias Fertilizantes S/A GOIASFÉRTIL (1993 – 1999); Presidente da ULTRAFÉRTIL (1993 – 1999). Atualmente é presidente da GRUPASSO Participações S/A; proprietário da Fazenda Colorado S/A e Fazenda Bom Jesus, ambas no Município de Araras, Estado de São Paulo; e diretor da Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (ABCBRH).

 

 

Aviso importante:
Transcrições de entrevistas estão sempre sujeitas a erros. Elas são aqui disponibilizadas apenas com o intuito de facilitar a pesquisa, não devendo substituir a consulta ao documento audiovisual. Caso você perceba algum erro, por favor avise-nos através do Fale Conosco ou da ferramenta Colabore, disponível no sistema de acervo do CPDOC (é preciso estar registrado para utilizar esta ferramenta).