João Toledo

Todas as entrevistas  

 João Toledo

João Toledo nasceu cidade de Santos, Estado de São Paulo, em 10 de outubro de 1945. Seu pai na época de seu nascimento e infância era corretor oficial da Bolsa de Café em Santos. Seus antepassados paternos já se dedicavam à produção de café na região de Tietê, Piracicaba e região sul do Estado próximo à fronteira com o Paraná. Em 1952 a família transfere a residência para o município de Pedregulho, interior do Estado de São Paulo. Na época João Toledo tinha sete anos e seus irmãos, José Luiz e Sergio, seis e cinco anos respectivamente. Em Pedregulho o pai adquire uma propriedade e passa a se dedicar à cultura do café. Sua trajetória educacional tem início em Pedregulho e Franca. Devido à necessidade dos filhos freqüentarem a escola os pais decidem sair da fazenda e transferir a residência para a cidade. Já pensando na preparação para ingresso no curso superior decide cursar o colegial em Piracicaba/SP, no colégio Sud Mennucci, escola conhecida como preparatória para ingresso na Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" (Esalq), onde fica de 1964 a 1969. O irmão do meio forma-se em Engenharia Mecânica e assume cargo na Gessy Lever. O irmão caçula opta por cursar engenharia agronômica na Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (Unesp) de Jaboticabal. Lever, após formatura concursa-se engenheiro agrônomo do Banco do Estado de São Paulo S. A. (Banespa) e também passa apoio na gestão das atividades agrícolas do pai. Na década de 1970 perde o irmão caçula, vitima de um acidente de carro. Antes mesmo de se formar surge um convite para trabalhar no setor industrial da Usina Santa Clara, de propriedade do Sr. Roberto Ferreira do Amaral na época também diretor-superintendente do Banco do Comércio e Indústria de São Paulo S.A. (Comind) (1968-1975). Aceita a oferta de trabalho na Usina Galo Bravo em Ribeirão Preto/SP onde fica até 28/12/1972. Ingressa por meio de concurso na Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (1972) como técnico agronômico. É designado para trabalhar na Casa da Agricultura no município de Populina situado na região da Alta Araraquarense. Em 1973 solicita transferência para a Casa da Agricultura do município de Pedregulho. Pede transferência para Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI) seção de café em Campinas devido ao casamento e a necessidade de se aproximar da Universidade de São Paulo em Piracicaba onde a esposa lecionava práticas de ensino no curso de economia de Doméstica. Nascimento das três filhas. Em 1985 filia-se à recém criada Cooperativa de Cafeicultores e Agropecuaristas (Cocapec). Em 1987 falecimento de seu pai. A rotina de trabalho durante mais de trinta anos foi dividida entre Campinas e Pedregulho, onde adquire propriedades de café, até a aposentadoria em 2004, apesar da permanência da família em Campinas onde a esposa é proprietária de um colégio. Uma das filhas segue carreira acadêmica, com mestrado (Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias - UNESP Campus de Jaboticabal) e doutorado (Universidade Federal de Lavras – UFLA) em Engenharia Agronômica. Em 2009 assume a diretoria da Cocapec.

 

 

Aviso importante:
Transcrições de entrevistas estão sempre sujeitas a erros. Elas são aqui disponibilizadas apenas com o intuito de facilitar a pesquisa, não devendo substituir a consulta ao documento audiovisual. Caso você perceba algum erro, por favor avise-nos através do Fale Conosco ou da ferramenta Colabore, disponível no sistema de acervo do CPDOC (é preciso estar registrado para utilizar esta ferramenta).