A- A+

Laboratórios de pesquisa do CPDOC

  

3º Atelie do Pensamento Social
Apresentação

EEm 22 e 23 de agosto de 2013, o Laboratório de Pensamento Social do CPDOC realiza seu 3º Ateliê do Pensamento Social, intitulado Textos Literários: das fontes de pesquisa aos métodos de leitura. Trata-se de um programa de quatro workshops – intitulado Ideas, texts and concepts: new comparative perspectives - Ideias, textos e conceitos: novas perspectivas comparativas – que se estendem entre 2011-2014.

Esse ciclo de âmbito internacional visa discutir aspectos teórico-metodológicos relativos à pesquisa no campo amplo do pensamento social (estudos sobre ideias, intelectuais e tradições disciplinares), e destina-se especialmente a jovens pesquisadores inscritos em programas de pós-graduação de História e Ciências Sociais, no Brasil e no mundo, que tenham projetos de pesquisa relativos ao tema.

Neste ano, o tema escolhido é Textos Literários: das fontes de pesquisa aos métodos de leitura. No primeiro dia, haverá uma conferência inaugural, com um convidado estrangeiro, seguida de duas mesas-redondas com especialistas nacionais e internacionais na área.

No segundo dia, serão discutidos projetos e experiências de pesquisa com estudantes de pós-graduação inscritos no evento. O evento irá selecionar até 30 inscrições especiais de pós-graduandos, que submetam seus projetos.
 

Histórico do evento

Em 2011, o Laboratório de Pensamento Social do CPDOC organizou o 1º Ateliê do Pensamento Social, um workshop com cinco especialistas nas áreas de Sociologia da Cultura e História Intelectual, que se reuniram para debater métodos de pesquisa na área. O evento foi voltado para um público de pós-graduandos nas áreas de História e Ciências Sociais, e recebeu um bom número de inscrições, além de numerosas consultas. O formato, embora comum ao redor do mundo, ainda é pouco explorado no Brasil, que tende a preferir seminários e congressos massivos.

O sucesso do primeiro evento levou-nos a conceber um projeto mais ambicioso em 2012, com a aposta do Ateliê em um espaço internacional de discussão sobre novos métodos de pesquisa no campo do pensamento social. Ao acreditar em tal iniciativa, a contribuir para consolidar o lugar de destaque da comunidade acadêmica brasileira num circuito internacional, foi organizado em agosto de 2012 o Ateliê Internacional, intitulado Ideias, textos e conceitos: novas perspectivas comparativas.

Nessa ocasião, receberam-se os professores convidados: Sujata Patel, da Universidade de Hyderabad, Índia; Elias Palti, da Universidade de Quilmes, Argentina; Maurício Tenório, da Universidade de Chicago, US; Cherry Schrecker, da Universidade de Nancy, França; e Lilia Moritz Schwarcz, da Universidade de São Paulo, Brasil.
 

Público-alvo

O evento é direcionado primordialmente para estudantes de pós-graduação em História e Ciências Sociais que lidem com temas próximos do campo do pensamento social, mas as mesas estão abertas ao público em geral, respeitadas as limitações de espaço físico.

A única atividade restrita aos inscritos com trabalhos será aquela realizada no segundo dia, ocasião em que ocorrerão os encontros com os especialistas, convidados a compartilhar suas experiências científicas e a debater metodologias de pesquisa na fronteira Ciências Sociais/Literatura.
 

Sobre as inscrições

A conferência e as mesas do primeiro dia (quinta-feira, 22.08) são franqueadas para o público interessado, não sendo necessária inscrição prévia.

Para o segundo dia (sexta-feira, 23.08), o foco são mestrandos e doutorandos interessados em debater metodologias de pesquisa nas áreas de Pensamento Social e Literatura, com especialistas convidados.

Para inscrever-se, requisita-se a apresentação do projeto de pesquisa do pós-graduando, em que se constate a adequação da temática com o perfil do Ateliê.

Serão selecionados projetos de pesquisa entre 5 e 10 páginas que exponham seu recorte temático e enfatizem sua metodologia. O objetivo de tal formato é privilegiar a discussão coletiva sobre aspectos metodológicos da pesquisa na área de pensamento social e literatura. Espera-se receber projetos que exponham o fazer prático envolvido em cada investigação.

No ato da inscrição, o proponente deverá indicar: nome completo; filiação institucional; categoria no programa de pós-graduação (mestrado ou doutorado); e nome do orientador.

Neste site serão anunciados os inscritos (um mínimo 20 e um máximo de 30 projetos) que participarão do segundo dia de evento.
 

Comitê Científico

O comitê é formado pelos três professores que integram o LAPES: Bernardo Buarque de Holanda, Cláudio Pinheiro e João Maia.

 


Programação
22 de Agosto | 5ª feira
1ª dia de evento | Auditório 1333
9h30 - 12h30 Mesa 1
História intelectual e literatura epistolar – como estudar por meio de cartas?

Roger Chartier - Collège de France
Marcos Antônio de Moraes - IEB/USP

Almoço
14h - 17h Mesa 2
Tradição e tradução do romance – como ler Anna Karenina e Grande sertão: veredas?

Berthold Zilly - Universidade Livre de Berlim
Bruno Gomide - Universidade de São Paulo



23 de agosto | 6ª feira
10h - 12h Ateliê 1:
Métodos qualitativos e pensamento social

Cláudio Pinheiro - CPDOC/FGV
Auditório 1333

 
14h - 16h Ateliê 2:
Metodologias de pesquisa – explorando a fronteira Pensamento Social/Literatura.

Antônio Herculano - Casa de Rui Barbosa
Leopoldo Waizbort - USP
Auditório 1333

Valter Sinder - PUC
João Cezar de Castro Rocha - UERJ
Auditório 1013


Biodatas dos participantes

Antônio Herculano Lopes, Brasil

Fundação Casa de Rui Barbosa

Antônio Herculano é bacharel em Direito pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ, 1973), mestre em Sociologia pela Universidade de Brasília (UnB, 1978) e doutor em Estudos de Performance pela New York University (NYU, 1999). Atualmente é pesquisador titular da Pesquisa em História da Fundação Casa de Rui Barbosa. Tem experiência nas áreas de Patrimônio, Teatro e História, com ênfase em História Cultural e Social do Brasil (Segundo Reinado e Primeira República). Atua principalmente nos seguintes temas: Rio de Janeiro, identidade cultural, cultura popular e erudita, história das sensibilidades, teatro e outras performances.

Berthold Zilly, Alemanha

Instituto Latino-Americano da Universidade Livre de Berlim

Berthold Zilly, docente aposentado da Universidade Livre de Berlim e da Universidade de Bremen, é professor visitante da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), onde prepara a versão alemã de Grande sertão: veredas, para a editora Hansel, de Munique. Doutor em literaturas neolatina e alemã. Especializado em tradução, verteu para o alemão obras como Os Sertões, de Euclides da Cunha, Lavoura Arcaica, de Raduan Nassar, Memorial de Aires, de Machado de Assis, Triste Fim de Policarpo Quaresma, de Lima Barreto, Confissão de Lucio, do português Mario de Sá-Carneiro, e Civilización y Barbarie, do argentino Domingo Sarmiento.

Bruno Gomide, Brasil

Universidade de São Paulo

Bruno Barreto Gomide é doutor em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual de Campinas, com estágio de doutorado CAPES na Universidade da Califórnia, Berkeley (2002-2003). Foi pesquisador visitante no Instituto Górki de Literatura Mundial (Moscou, 2009) e no departamento de eslavística da Universidade de Glasgow (2012). Realizou cursos e estágios nas Universidades de Cambridge (Inglaterra), Illinois e Indiana (Estados Unidos), Linguística de Moscou e em São Petersburgo. Foi conferencista convidado na Biblioteca Nacional Argentina e na Universidade de São Petersburgo. É criador e coordenador do grupo de literatura russa da ABRALIC. Desde 2005 é professor da Universidade de São Paulo, na área de Literatura e Cultura Russa. É coordenador do Programa de pós-graduação em literatura e cultura russa desde agosto de 2010.

Cláudio Pinheiro, Brasil

Escola de Ciências Sociais/CPDOC-FGV

Cláudio Costa Pinheiro é doutor em Antropologia Social pelo Museu Nacional/UFRJ. Explora temas transdisciplinaridades em Antropologia, História, Sociologia, Linguística, Cinema e Educação. Integrante do Laboratório de Pensamento Social (LAPES), é professor da Escola de Ciências Sociais da FGV e pesquisador do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil. Um de seus focos reside na investigação sobre colonialismo, pós-colonialismo e aspectos da institucionalização do poder, comparando sudeste asiático e Brasil. Foi professor-pesquisador associado e visitante no Japão (2001), Portugal (2003), Índia (2006) e Holanda (desde 2003). Foi bolsista do CNPq (Graduação, Mestrado e Doutorado), Ford Foundation (Mestrado), Sephis Programme (Doutorado). Participa do conselho editorial do periódico eletrônico Global South, e de várias entidades de pesquisa e de associações cientificas.

João Cezar de Castro Rocha, Brasil

João Cezar de Castro Rocha é bacharel em História pela UERJ, com mestrado e doutorado em Letras pela mesma universidade. Em 2002 completou seu segundo doutorado, em Literatura Comparada, pela Stanford University (2002), com a tese Marinetti goes to South America: confrontos e diálogos do futurismo na América do Sul, orientada pelo Prof. Dr. Hans Ulrich Gumbrecht. Em 2005-2006 realizou pós-doutorado na Freie Universität, Berlim. Pesquisou estratégias de apropriação cultural, com destaque para as obras de Oswald de Andrade e Fernando Ortiz. No momento, principia a organização de uma New History of Brazilian Literature. É editor-executivo da revista Portuguese Literary & Cultural Studies, publicada pela University of Massachusetts-Dartmouth.

Leopoldo Waizbort, Brasil

Universidade de São Paulo

Leopoldo Garcia Pinto Waizbort possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (1987). É mestre (1992), doutor (1996) e livre-docente (2003) pela mesma universidade. Desde 2010, é professor titular da Universidade de São Paulo. Trabalha na área de sociologia, com ênfase em teoria sociológica, sociologia da cultura, história da sociologia, antropologia histórica e sociologia da música. É autor, entre outros, de As aventuras de Georg Simmel (Editora 34, 2000), A passagem do três ao um (Cosac Naify, 2007) e A ousadia crítica (Boitempo, 2008). Especialista na obra do filólogo judeu alemão Erich Auerbach, seu mais recente projeto de pesquisa intitula-se “Villa-Lobos: nacional e cosmopolita”.

Marcos Antônio de Moraes, Brasil

Instituto de Estudos Brasileiros (IEB/USP)

Marcos Antônio de Moraes é graduado em Letras (Linguística, Português e Francês) pela Universidade de São Paulo (1991). É mestre em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (1997) e doutor em Literatura Brasileira pela Universidade de São Paulo (2002). Atualmente é pesquisador e docente do Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Historiografia Literária Brasileira, desenvolvendo pesquisas nos seguintes campos: epistolografia brasileira, memorialismo brasileiro, modernismo brasileiro, obra de Mário de Andrade, crítica genética e textual. Membro da Equipe Mário de Andrade, no Instituto de Estudos Brasileiros.

Roberto Gonzalez Echevarría, Cuba

Yale University

Roberto González Echevarría é doutor e professor na Universidade de Yale. Autor do volume biográfico Alejo Carpentier: un peregrino en su pátria, em 1977. Em 1985, lançou The voice of the masters: writing and authority in modern Latin American literature, acerca da influência de Jacques Derrida e Paul de Man na análise de autores como Júlio Cortázar, Carlos Fuentes e Gabriel García Márquez. Seu trabalho mais conhecido, Mito y archivo: una teoría de la narrativa latino-americana, foi lançado em 1990 e constitui referência sobre a origem do romance latino-americano. Em 1995, foi nomeado Sterling Professor of Hispanic and Comparative Literature, da Universidade de Yale. Aficionado por esportes, em 1999 publicou The pride of Havana: a history of Cuban baseball; em 2002, o livro Love and the law in Cervantes voltou aos temas do arquivo na literatura e da lei na obra do autor de Don Quixote.

Roger Chartier, França

Collège de France

Roger Chartier é historiador, vinculado à historiografia da École des Annales. É especialista na história do livro, da edição e da leitura. É formado na École normale supérieure e na Sorbonne, tendo sido também professor em ambas as instituições. Desde 2006, leciona no Collège de France, na cadeira “Escrita e cultura na Europa moderna”. No interior da História Cultural, tem-se dedicado a examinar teórica e conceitualmente as noções de ‘práticas’, ‘representações’ e ‘apropriação’. É organizador da obra La correspondance: les usages de la lettre au XIXe siècle (1991), bem como autor de inúmeros livros, muitos deles traduzidos no Brasil, dentre os quais: Les origines culturelles de la Révolution Française (1999) e Histoire de la lecture dans le monde occidental(2001).

Valter Sinder, Brasil

Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio)

Valter Sinder é graduado em Ciências Sociais pela Universidade Federal Fluminense (1980), mestre em Antropologia pelo Museu Nacional, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (1986), e doutor em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (1992). Tem pós-doutorado na University of Texas System (1998) e na Fundação Getúlio Vargas (2009). Atualmente é professor associado da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e professor adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Teoria Antropológica e Literatura. É autor de “Configurações da narrativa: verdade, literatura e etnografia” (2002).


Lista de inscritos
23 de agosto | 6ª feira
10h - 12h Ateliê 1:
Métodos qualitativos e pensamento social

Cláudio Pinheiro - CPDOC/FGV
Auditório 1333
Lista de alunos inscritos

 
14h - 16h Ateliê 2:
Metodologias de pesquisa – explorando a fronteira Pensamento Social/Literatura.

Antônio Herculano - Casa de Rui Barbosa
Leopoldo Waizbort - USP
Auditório 1333
Lista de alunos inscritos

Valter Sinder - PUC
João Cezar de Castro Rocha - UERJ
Auditório 1013
Lista de alunos inscritos

OBSERVAÇÃO: o certificado será concedido àquele inscrito presente na manhã e tarde do dia 23 de agosto, e em pelo menos uma mesa do dia 24 de agosto.

  Twitter Facebook Youtube Flickr Eclass      Mais   

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
RIO: Praia de Botafogo, 190, 14º andar, Rio de Janeiro - RJ - 22250-145 • Tels. (21) 3799.5676
SÃO PAULO: Avenida Paulista, 1471, 1º andar, Bela Vista - São Paulo - 01311-200 • Tel: (11) 3799 -3755
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2017. Todos os direitos reservados • Usando: Drupal! • Use versões recentes do IE, Firefox, Chrome, Opera
Lista de URLs do CPDOC Busca: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/page-sitemap

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede