A- A+

Cineclube FGV - Cinema Documentário
'

<<  SESSÕES CINECLUBE 2007
  • 05/dezembro/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.  
    CHICO ANTONIO: O HERÓI COM CARÁTER (Eduardo Escorel. 1983) 
    40 minutos. Eduardo Escorel, montador e documentarista, parte para o interior do Rio Grande do Norte, em 1983. Refaz o percurso feito, cerca de 60 anos antes, por Mario de Andrade. Escorel busca Chico Antonio, um personagem real descrito pelo escritor modernista em suas anotações de viagem. Um homem que, na década de 1920, encantou Mario com suas cantigas de coco e o presenteou com seu ganzá. O encontro entre Escorel e Chico Antonio faz este, aos 80, reviver sua juventude.
     

    Após a projeção houve debate com o diretor Eduardo Escorel.

     

  • 21/novembro/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.
    SANTIAGO (João Moreira Salles, 2006) 
    80 minutos. Santiago tem uma peculiaridade - 14 anos separam a filmagem da edição. Fala não só de Santiago Badariotti Merlo, o mordomo da família Moreira Salles, mas, por ser um filme na primeira pessoa, expõe o diretor desde o primeiro minuto. Salles revela suas memórias de infância, nos deixa ouvir sua voz comandando o ex-mordomo, reexamina a distância o conteúdo de certos planos, comenta os métodos utilizados. Personagem, processo, autor - tudo está condensado nesse documentário.

    Após a projeção houve debate com o diretor João Moreira Salles.

     

  •  31/outubro/2007

    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.
    O ENGENHO DE ZÉ LINS (Vladimir Carvalho. 2006) 80 minutos.
    O documentário se sobressai pela força dos relatos e depoimentos de Carlos Heitor Cony, Ariano Suassuna, Rachel de Queiroz, Walter Lima, Thiago de Mello, entre outros, sobre José Lins do Rego. Grande escritor nascido na Paraíba, Zé Lins é autor de obras fundamentais como Menino de Engenho (filmado por Walter Lima Jr.), Fogo Morto, Pedra Bonita e Cangaceiros. O diálogo entre as entrevistas, ricas imagens de arquivo, o único registro sonoro do escritor (uma entrevista em Lisboa em 1956) dão alma e voz ao personagem - o menino, a grande figura humana - solidária e afetiva, forte e polêmica, o escritor - sua inspiração e obra, o dirigente esportivo e sua paixão pelo Flamengo. O filme, ainda não lançado em circuito comercial no Rio de Janeiro, recebeu o Prêmio Especial do Júri e Prêmio do Distrito Federal no Festival de Brasília em 2006 e participou na categoria hors concours nos festivais É tudo verdade 2007 e CINEPORT - Festival de Cinema de Países de Língua Portuguesa 2007.

     

    A projeção foi seguida de debate com o diretor VLADIMIR CARVALHO

     

  • 17/outubro/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.
    MORRO DA CONCEIÇÃO(Cristiana Grumbach. 2005)

    85 minutos. O documentário é um mergulho no tempo, na memória, na vida de oito personagens e de um Rio de Janeiro que, em sua arquitetura, traz hoje apenas lampejos da outrora harmonia de forma e de convívio entre seus habitantes. Um desses lampejos é o Morro da Conceição, colina escondida pelos arranha-céus da Praça Mauá, zona portuária da cidade. Lugar pouco conhecido pelos cariocas, onde vizinhos ainda se encontram à soleira das portas para jogar conversa fora e, às 18 horas, a Ave Maria toca pelo alto-falante da Igreja. Os personagens - dona Iria, seu João, dona Alzira, dona Maria Amélia, seu Feijão, dona Duda, dona Mida e seu Chapéu, filhos de portugueses, são os moradores mais antigos do Morro. Cada porta, janela, telhado, ladeira, travessa que dá forma a este pequeno bairro guarda parte da vida deles. São relatos que permeiam a intimidade daqueles lares centenários e a vida pública do Rio de Janeiro do século XX.

    Alguns comentários: (http://www.crisisprodutivas.com/morrodaconceicao/press/release.html)

     

  • 03/outubro/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.
    CAPARAÓ (Flávio Frederico. 2006)

    77 minutos. O documentário Caparaó foi o vencedor do Festival É Tudo Verdade na categoria de melhor longa/média em 2006. O filme reconstitui a tentativa de cerca de 20 militares, expulsos das Forças Armadas, de instalar um foco de resistência ao regime militar na serra de Caparaó (divisa de Minas Gerais e Espírito Santo), em 1966. O movimento, derrotado em abril de 1967, foi a primeira tentativa de luta armada contra o golpe militar de 1964. Depoimentos dos participantes ainda vivos, a volta a Caparaó 40 anos depois do fato histórico e rico material de arquivo, incluindo imagens inéditas da extinta TV Tupi, revelam detalhes da captura dos guerrilheiros que mobilizaram uma das maiores operações militares do país até então, envolvendo cerca de 3 mil homens das Polícias Militares de Minas Gerais e Espírito Santo, do Exército e da Aeronáutica.

     

  • 12/setembro/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.
    ONDE A CORUJA DORME (Simplício Neto e Márcia Derraik. 2001)

    15 minutos. Bezerra da Silva vai onde a coruja dorme. Dos morros cariocas e da baixada fluminense, Bezerra garimpa canções feitas por trabalhadores e compositores anônimos.

     

  • 12/setembro/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.
    SAMBA(Thereza Jessouroun. 2001)

    54 minutos. O documentário Samba recebeu o Prêmio TV Cultura do Festival É Tudo Verdade de 2001 e foi selecionado pelo canal franco-alemão Arte para exibição nas televisões de diversos países europeus, em julho de 2002. Mostra o samba desglamorizado, antes de virar megaespetáculo de TV, diferente do que é apresentado aos turistas. O samba como identidade cultural que interfere na vida das pessoas e passa de geração para geração, educando, unindo e separando as pessoas.

     

  • 29/agosto/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.
    ROCHA QUE VOA (Erik Rocha)

    94 minutos. Erik, filho de Glauber Rocha, tinha 3 anos quando seu pai morreu. Rocha que voa é um documentário sobre a passagem de Glauber por Cuba, entre 1971 e 1972. Baseado em entrevistas gravadas naquele momento, o filme não fala apenas de Glauber, mas de uma época. Erik Rocha apresenta uma estética distante da convencional - explora cores e grafismos, imagens aparentemente desconexas e tensões de pensamento.

     

  • 15/agosto/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.
    UM PASSAPORTE HÚNGARO (Sandra Kogut)

    71 minutos. Um Passaporte Húngaro, de Sandra Kogut, retrata o processo de busca para obter a nacionalidade húngara, de seus avós. A partir desse dispositivo, a diretora propõe questões que vão além das dificuldades burocráticas envolvidas, tocando também em temas como o significado da nacionalidade no mundo contemporâneo, a imigração e a memória. O documentário aborda as relações entre o passado e o presente que se configuram no âmbito pessoal e mundial.

     

  • 01/agosto/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ.
    VISITA ÍNTIMA (Joana Nin) e MISSIONÁRIOS (Cleisson Vidal e Andréa Prates)

     

  • 29/junho/2007
    LOCAL: Prédio da FGV no Centro - R. da Candelária, 6, Centro, RJ. (Perto do CCBB)
    Rio de Jano Eduardo Souza Lima, Anna Azevedo e Renata Baldi - 2003

    75 minutos. Ao longo de 50 dias de filmagem, o desenhista e caricaturista francês Jano (pronuncia-se Janô) percorre o Rio de Janeiro e registra em seu caderno de viagem, os locais e personagens que conhece e que, segundo sua visão, são característicos e únicos de nossa cidade. Em abril deste ano, o filme esteve em cartaz no Centro Georges Pompidou, Paris, integrando a exposição dedicada a autores de quadrinhos criados a partir de viagens.

    Após a sessão houve debate sobre o filme com os três diretores e com Bianca Freire-Medeiros, pesquisadora do CPDOC.

     

  • 01/junho/2007
    Elevado 3.5 João Sodré, Maíra Bühler, Paulo Pastorelo (diretores) - 2006 Brasil - SP / 75 minutos.

    "Elevado 3.5" foi o grande vencedor da categoria longa metragem nacional do 12º Festival Internacional de Documentário É tudo Verdade este ano. O filme retrata a vida de pessoas que moram ao longo dos 3.5 km do Minhocão, como é conhecido o Elevado Costa e Silva, via construída durante a ditadura militar, que corta a região central de São Paulo. Este filme dos arquitetos João Sodré e Paulo Pastorelo e da antropóloga Maíra Bühler teve origem no DOCTV SP II. (Após o filme houve debate com Maíra Bühler, diretora do filme.)

     

  • 18/maio/2007
    O fim e o princípioEduardo Coutinho - 2005

    Uma equipe de filmagens equipada parte rumo ao interior da Paraíba com apenas um objetivo definido: capturar histórias interessantes. Praticamente comprometida com o acaso, a equipe chega ao Sítio Araçás, onde, por intermédio de uma jovem local, levantam e capturam depoimentos dos moradores. O filme tece, a partir das histórias que documenta, a vida no sítio: a interação entre os habitantes, sua fé, sua organização e seus valores. “O Fim e o Princípio” foi exibido como hors concours na mostra Première Brasil, no Festival do Rio 2005. (Após o filme houve debate com Eduardo Coutinho e Consuelo Lins.)

<<  SESSÕES CINECLUBE 2007 SÃO PAULO
  • 10/outubro/2007
    Serras da DesordemAndrea Tonacci (diretor) - 2005 / 135 minutos.
    Carapirú é um índio nômade que escapa de um ataque surpresa de fazendeiros e que durante 10 anos perambula sozinho pelas serras do Brasil central até ser capturado em Novembro de 1988 a 2000 Km de distância do seu ponto de fuga/partida. Levado para Brasília pelo sertanista Sydney Possuelo, em uma semana torna-se manchete nacional, e centro da polêmica criada por antropólogos e lingüistas quanto à sua origem e identidade. Na tentativa de identificação de sua origem reencontra um filho com quem retorna ao Maranhão, mas o que lá encontra não está mais de acordo com a vivência de sua liberdade nômade. Os personagens principais deste filme foram interpretados pelas mesmas pessoas que viveram os fatos narrados.

     

  • 27/setembro/2007
    Cartola Lírio Ferreira e Hilton Lacerda (diretores) - 2007 / 85 minutos.
    A história de um dos compositores mais importantes da música brasileira. A história do samba a partir de um dos seus expoentes mais nobres. Utilizando linguagem fragmentada, Cartola traça um painel da formação cultural do Brasil, convidando a uma reflexão na construção da memória deste país. O retrato de um homem que se reconstruía com seu tempo.

     

  • 02/agosto/2007
    Elevado 3.5(Eduardo Escorel. 1983) 
    Elevado 3.5" foi o grande vencedor da categoria longa metragem nacional do 12º Festival Internacional de Documentário É tudo Verdade este ano. O filme retrata a vida de pessoas que moram ao longo dos 3.5 km do Minhocão, como é conhecido o Elevado Costa e Silva, via construída durante a ditadura militar, que corta a região central de São Paulo. Este filme, dos arquitetos João Sodré e Paulo Pastorelo e da antropóloga Maíra Bühler, teve origem no DOCTV SP II. (Após a exibição do filme tivemos um debate com Maíra Bühler, diretora do filme.)

     

  • 25/maio/2007
    Retrato de Classe Gregório Bacic (1977, 42 min.)
    Divertida crônica-painel da classe média paulistana nos anos 70, a partir de uma premissa simples, mas eficaz: uma reunião de turma do primário, 20 anos depois. Retrato de Classe parte de uma foto da classe ginasial de uma escola particular, num bairro de classe média de São Paulo. Busca e reúne ex-colegas e uma professora, para, ao recriar as trajetórias do grupo, desenhar o perfil da burguesia metropolitana do País. Um país em crise e uma classe média que estava vivendo a derrocada do milagre econômico. Frustrações, desejos, preconceito e futilidade fazem parte deste universo de pessoas e de suas trajetórias de vida.

     

  • 11/maio/2007
    Do luto à lutaEvaldo Mocarzel (2005, 75 min.)
    Uma análise das deficiências e potencialidades da Síndrome de Down, problema genético que atinge cerca de 8 mil bebês a cada ano no Brasil. A Síndrome de Down é sem dúvida um problema, mas as soluções são bem mais simples do que se imagina, principalmente quando são deixados de lado os preconceitos e estigmas sociais.

     

  • 27/abril/2007
    Hércules 56 Silvio Da-Rin (2006, 94 min.)
    Em 7 de setembro de 1969, o avião Hércules 56, da FAB, levou ao México quinze presos políticos trocados pelo embaixador dos EUA. No filme, os nove remanescentes do grupo e cinco membros das organizações responsáveis pelo seqüestro rememoram a ação e discutem a luta armada contra a ditadura militar.

     

  • 13/abril/2007
    Do Outro Lado do Rio Lucas Bambozzi (2004, 91 min.)
    O filme é uma viagem aos limites do Brasil, uma investigação sobre a zona indefinida entre as cidades de Oiapoque (Brasil) e Saint Georges de L´Oyapock (Guiana Francesa), onde as identidades se confundem e apenas um rio separa o homem de seus sonhos. Oiapoque é uma zona de intersecção entre o Brasil e a Guiana Francesa, a porta de entrada para uma nova vida em território francês. O foco do documentário são as pessoas e suas histórias. Repleto de personagens com um notável espírito de aventura e legítimos representantes de um tipo de Ulisses contemporâneo, sempre planejando sua Odisséia para além das fronteiras.

     

  • 16/março/2007
    Vlado - 30 anos depois João Batista de Andrade (2005, 90 min.)
    Morto há trinta anos pela ditadura militar, o jornalista Vladimir Herzog é tema deste documentário dirigido por João Batista de Andrade. O longa é um apanhado da vida, da carreira e da morte de Vlado, que conta com depoimentos de amigos e familiares. Entre os entrevistados estão Clarice Herzog, Paulo Markun, José Mindlin, Fernando Morais, Alberto Dines e Diléa Frate. A partir desses depoimentos, busca resgatar a história, a amplitude das perseguições dos anos de chumbo, por meio da trajetória de Herzog, desde a sua infância até sua posse como Diretor de Jornalismo da TV Cultura de São Paulo e a perseguição a ele iniciada naquele momento. Como o próprio diretor deixa claro na introdução de Vlado - 30 Anos Depois, este é um filme extremamente pessoal sobre a trajetória e morte do jornalista, de quem o diretor foi muito amigo e colega de trabalho.

     

  Twitter Facebook Youtube Flickr Eclass      Mais   

   

 

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
RIO: Praia de Botafogo, 190, 14º andar, Rio de Janeiro - RJ - 22250-145 • Tels. (21) 3799.5676
SÃO PAULO: Avenida Paulista, 1471, 1º andar, Bela Vista - São Paulo - 01311-200 • Tel: (11) 3799 -3755
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2017. Todos os direitos reservados • Usando: Drupal! • Use versões recentes do IE, Firefox, Chrome, Opera
Lista de URLs do CPDOC Busca: http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/page-sitemap

Portal FGVENG

Escolas FGV

Acompanhe na rede

randomness